IBOVESPA 107.398,97 −6.278,28 (5,52%)

Saúde

Serviço de urologia do Abelardo Santos alerta aos cuidados com a saúde do homem

Este ano, unidade já realizou mais de 7 mil consultas e 820 cirurgias na especialidade

O comerciante Luís Carlos Pires Lobato, de 60 anos, se deslocou do município de Ulianópolis, no sudeste paraense, à capital do Estado, para passar por um procedimento cirúrgico no Hospital Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS), localizado em Icoaraci, após saber que estava com uma doença urológica benigna. No dia 19 de outubro, ele passou por cirurgia de prostatectomia, e considera o tratamento um divisor de águas em sua vida.

“Foi tudo rápido e com muita qualidade na assistência. Todos os profissionais estão sendo muito atenciosos comigo, eu não tenho reclamações. Como já faço atendimentos aqui desde o ano passado, pedi a Deus que a minha cirurgia fosse no Abelardo Santos, já que eu sei que é referência”, comentou. A cirurgia de seu Luís faz parte de um tratamento na próstata benigno, e que segundo ele, a doença demorou um tempo para ser descoberta. “Os homens procuram pouco os médicos, sentem vergonha, ou mesmo são despreocupados com a saúde. Graças a Deus e à equipe, estou bem”, enfatizou.

Assim como Luís Carlos, muitos homens ainda ignoram à procura de rotina a um especialista, e mesmo com tanto esclarecimento sobre o assunto, se acercam de tabus quando são confrontados com o tema. Porém, os profissionais da saúde alertam: ainda na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 devem ir ao urologista conversar sobre o exame de próstata e buscar ajuda a qualquer sinal da doença.

“Entendemos que a missão dos órgãos e entidades de saúde, além de prestar os serviços com qualidade, devem fazer ações de alertas às doenças, aos cuidados, como forma de quebrar tabus. O HRAS, em todas as campanhas, reforça esse compromisso social. E o Novembro Azul não é diferente. Nossos profissionais se engajam em estar desmistificando conceitos e incentivando, sobretudo, através de ações, que os homens procurem um médico cotidianamente e façam avaliações”, frisou o diretor Executivo do Regional Abelardo Santos, Marcos Silveira.  

Diagnóstico - O médico urologista, Bernardo Sefer garante que quanto antes a doença for diagnosticada, mais chances o paciente tem de recuperação. “Uma vez descoberta, o tratamento será decidido em conjunto pelo médico urologista e pelo paciente. Nele se envolve a cirurgia, a radioterapia, hormonioterapia e quimioterapia. Os principais fatores de risco são a idade acima de 50 anos, os genéticos e hereditários, obesidade, exposição a arsênio e a derivados do petróleo”, explicou o especialista.

Sefer enfatiza que além de ir regularmente ao médico, é preciso manter um estilo de vida regrado. “Primeiramente, é fundamental manter hábitos de vida saudável evitando excesso de sal, gordura e açúcares. Praticar exercícios físicos. Prezar pela higiene correta da parte íntima. Manter a proteção durante a relação sexual e evitar vícios de entorpecentes”, observou o urologista.

Perfil - Atualmente, o HRAS mantém um serviço de urologia - o qual, apesar de não tratar, exclusivamente, de homens - consegue diagnosticar o câncer de próstata e encaminhar os pacientes para o tratamento em unidades oncológicas do Sistema Único de Saúde (SUS), como o Ophir Loyola (HOL) e o Barros Barreto, em Belém.

Patrocinadas pelo Governo do Estado do Pará, através da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), de janeiro a setembro deste ano, a unidade já ofertou mais de 7 mil consultas na especialidade e 820 cirurgias, realizadas por meio de técnicas minimamente invasivas, como a videolaparoscopia e o uso de laser, se consagrando como o maior serviço público de saúde do território paraense, a usar este recurso para a fragmentação de cálculos urinários.

Atendimentos - O Regional dispõe de  600 consultas e 114 procedimentos cirúrgicos mensais de urologia, para pacientes oriundos da regulação estadual. “Oferecemos acompanhamento regular de prevenção, diagnóstico e tratamento das principais patologias da saúde do homem. Nos casos oncológicos, diagnosticamos e encaminhamos para hospitais específicos”, completou Bernardo Sefer.

Capacidade - O HRAS possui 25 leitos de internação exclusivos à especialidade e conta com a oferta de exames de imagem, biópsias de próstata e os meios mais modernos para tratamento das patologias benignas da próstata e litíase renal. "Temos métodos diagnósticos como uma equipe de radiologia hábil para realizar USG, biópsia de próstata guiada por ultrassonografia e também tomografia computadorizada para auxílio do diagnóstico”, observou o diretor médico da unidade, Paulo Henrique Ataíde.

Serviço - O HRAS é um Hospital Público, referência do Governo do Estado em média e alta complexidade. A instituição é administrada pelo Instituto Mais Saúde em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

___

Ag. Pará