IBOVESPA 107.398,97 −6.278,28 (5,52%)

Segurança Pública

Pará esteve em 21º lugar no isolamento social neste domingo

Em Belém, as piores taxas ficaram com Tenoné (29,5%), Pratinha (29,7%) e Maracajá (30,3%)

A taxa de pessoas se mantendo em casa para evitar a proliferação do novo coronavírus foi de 47,02%O Pará ficou no 21° lugar no ranking brasileiro de isolamento social desse domingo (14), com a taxa de 47,02% de pessoas se mantendo em casa para evitar a proliferação do novo coronavírus.

Secretário de Segurança Pública e Defesa Social do Pará, Ualame Machado afirma que a colaboração da população é necessária, pois a crise sanitária ainda está ocorrendo.

"Nós fazemos a fiscalização, o decreto ainda prevalece, mas temos que contar com a colaboração da população, as pessoas precisam entender que o fim do lockdown não significa o fim do isolamento social’’, alertou ele.

Ualame Machado assinala que “ainda é necessário manter o distanciamento, fazer o uso de máscara, só sair em caso extremamente necessário. É preciso compreender que o momento não é de voltar à vida normal. As fiscalizações são realizadas, mas não há como vigiar a casa de cada pessoa, o rosto de cada pessoal. São 8,5 milhões de habitantes no Estado e por isso a população precisa colaborar com os órgãos de segurança", ressaltou. 

Municípios

Na análise das cidades paraenses, os três melhores índices de isolamento foram nos municípios de Peixe-Boi (67,9%), Anajás (67,3%) e Chaves (65,5%).

Já as cidades que mais desobedeceram à recomendação de ficar em casa, registrando um baixo índice de isolamento, foram Santa Cruz do Arari (29,4%), São Caetano de Odivelas (32,9%) e Sapucaia (33,3%).

Em Ananindeua, as piores taxas foram observadas em Icuí-laranjeira (36,1%), Guanabara (38,9%), Paar (39,3%)Na capital paraense e em Ananindeua, foram registrados, respectivamente, os índices de 48,48% e 46,8%.

Em Belém, incluindo os distritos, os bairros com as maiores taxas de pessoas em casa foram: Aeroporto (65%), Maracangalha (63,2%) e Val-de-Cães (60,7%). Já as piores taxas ficaram com Tenoné (29,5%), Pratinha (29,7%) e Maracajá (30,3%).

Em Ananindeua, os melhores índices foram registrados nos bairros Curuçambá (57,1%), Levilândia (57,1%) e Icuí-Laranjeira (55,3%); as piores taxas foram observadas em Icuí-Guajará (36,1%), Guanabara (38,9%), Paar (39,3%).

Serviço - O percentual de isolamento nos 144 municípios paraenses e o monitoramento completo estão disponíveis em um espaço exclusivo sobre os índices no site da Segup.